Notícias

Voltar
25/05/2020

Médicos Veterinários alertam para os cuidados com os PETS durante a pandemia de COVID 19


Médicos Veterinários alertam para os cuidados com os PETS durante a pandemia de COVID 19

“Podemos conviver com nossos pets, mas para segurança devemos nos ater nos cuidados de higiene e manutenção da saúde” alertam os médicos veterinários

O alerta vem dos profissionais médicos veterinários, associados ao NUCLEOVET - Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas, entidade que completa 50 anos em 2021. Os profissionais, membros da associação, atuam em diferentes áreas, sendo as principais suinocultura, avicultura, bovinocultura de leite e corte e animais de companhia como cães, gatos e outros. Também são membros profissionais que atuam nos serviços de inspeção federal, estadual e municipal com o objetivo de levar até os consumidores alimentos saudáveis e de qualidade. “Atualmente somos em torno de 100 associados, mas o número de profissionais em nossa região é bem maior. O Nucleovet se preocupa e tem compromisso social com a comunidade em geral e por isso está constantemente levando informações relevantes para o bem estar de todos” pontua o Médico Veterinário Edson Klein.

Klein alerta “O mundo todo está vivendo a pandemia do COVID-19 que afeta a todos de uma maneira ou outra. Por isso reunimos os colegas que atuam no segmento PET para passar algumas informações relevantes a nossa comunidade sobre como conviver em segurança com o seu Pet nos dias atuais”.

O médico veterinário Domingos Albino Pereira explica “Pets requerem cuidados principalmente durante a pandemia e depois da pandemia também, o Covid veio para ficar, mesmo sabendo que animais de estimação não ficam doentes e tão pouco transmitem o Covid19, eles podem servir de carreador do vírus, portanto é necessário cuidados básicos de higiene para a manutenção da saúde dos Pets. Entre os cuidados básicos estão a higiene das patas sempre que retornar da rua, com água e shampoo específico para os Pets, ou usar sapatos ou meias específicas para os Pets e depois do passeio retirar e lavar, evitar que pessoas estranhas acariciem seus pêlos durante o passeio. Lembrar sempre que os Pets vieram para nos ajudar a passar a pandemia, eles brincam, demonstram muito amor, necessitam cuidados, e fazem nosso dia mais feliz”. Domingos finaliza lembrando as regras básicas de lavar bem as mãos antes e depois de brincar com os Pets, com água e sabão ou passar álcool gel.

A Médica Veterinária Mabel Previdi alerta ainda para os cuidados básicos, como vacinação “É de extrema importância a manutenção do calendário vacinal e desverminação, para manter a segurança de seu pet contra as doenças, muitas delas zoonoses, o que assegura sanidade aos tutores também. Desta forma evitando idas desnecessárias ao veterinário. O animal saudável será uma ótima companhia neste período de pandemia, nos alegrando e distraindo nesta época em que necessitamos de boas companhias. Mantendo a vacinação em dia, você previne uma série de doenças, garantindo que seu pet fique saudável e forte para curtir os dias com sua família!”.

Mabel tranquiliza de que os PETS não são risco em potencial, mas requer cuidados com higiene e limpeza “Podemos conviver com nossos pets, mas para segurança devemos nos ater nos cuidados de higiene e manutenção da saúde. Estudos comprovaram que um felino (gato) contraiu a doença, mas não teve carga viral suficiente para a transmissão da doença. Porém, os animais agem como vetor da doença, assim como alguns utensílios, carregando o vírus nas patinhas, pêlos, etc, e desta forma podendo transmitir o vírus”.

O cuidado precisa ser redobrado no caso de suspeita ou confirmação de COVID 19 “Se o proprietário do Pet estiver contaminado, melhor se afastar do Pet também, porque ele, o cão, pode levar ou carrear o vírus e passar para outra pessoa da casa. Sabemos que o Covid-19 possui uma transmissão muito rápida entre PESSOAS, por isso, os cuidados ao conviver com pessoas contaminadas ou suspeitas, deve ser redobrado. Manter o isolamento social, permanecer de máscara, lavar constantemente as mãos e rosto e evitar compartilhar objetos de uso pessoal são fundamentais para evitar a transmissão” dispara Domingos.

A médica veterinária finaliza lembrando “A recomendação de isolamento social deve ser feita pela família e em consequência para seu pet. Se este necessita passeios para evitar o estresse, recomendamos que ao retorno a casa seja feita a higiene das patas com água e sabão, assim como de todos os utensílios que utilizar no momento do passeio. Mas como o lema é "fique em casa", recomendamos a mesma situação aos pets, e para passar o tempo utilizar brinquedos, brincadeiras e curtir o tempo com seu pet em segurança”.

Mercado em crescimento

O crescimento do mercado pet em tempos de pandemia, reflexo de um setor que já vem em ascensão nos últimos anos. De acordo com o IBGE, existem mais de 139 milhões de animais de estimação no país. Por trás deles, donos ávidos por novidades para agradar seus bichinhos e reduzir o estresse. O resultado é um mercado aquecido, que deve atingir um faturamento de R$ 20 bilhões em 2020. Hoje, o Brasil é o segundo maior mercado pet do mundo, com 5% da fatia do faturamento global, de US$ 124,6 bilhões.

Mesmo em tempos de pandemia, o mercado segue em alta. Da mesma forma que humanos estocaram alimentos e medicamentos, por exemplo, os donos dos pets também se preocuparam em garantir a alimentação e saúde de seus bichos de estimação. Desde o início da pandemia, o setor disparou em 30%.

Empresas do setor pet e tem recebido uma demanda ainda maior durante a pandemia da Covid-19. Tanto o ecommerce, quanto aplicativs de delivery, que apenas durante a quarentena teve crescimento de mais de 60% no total de pedidos e 73% de aumento no volume de receita. As demandas, são tanto para produtos essenciais, o que já era esperado, quanto para os não essenciais, como brinquedos e acessórios.

Dicas dos veterinários entrevistados:

Convívio com pets durante a pandemia do coronavírus requerem cuidados?

Podemos conviver com nossos pets, mas para segurança devemos nos ater nos cuidados de higiene e manutenção da saúde. Estudos comprovaram um felino contraiu a doença porém não teve carga viral suficiente para a disseminação. Porém, os animais agem como vetor da doença, assim como alguns utensílios, carregando o vírus nas patinhas, pêlos, etc, e desta forma transmitir o vírus.

Outros pontos importantes:

- Manter água fresca e ração de boa qualidade ajudam a manter a imunidade dos Pets.

- Manter o ambiente sempre limpo.

- Usar máscara sempre na rua.

- manter distanciamento entre pessoas de pelo menos 1,5m.

Pessoas suspeitas ou contaminadas com o Covid-19 como conviver com o PET?

Por serem vetores, se existem mais pessoas dentro da residência, recomenda-se o afastamento do animalzinho da pessoa suspeita ou infectada, para evitar a transmissão aos outros moradores do local, se estes entrarem em contato com o pet. Caso o indivíduo encontra-se isolado de todos, o animalzinho pode conviver junto, e manter o isolamento recomendado ao dono, para desta forma evitar o contágio para outras pessoas. De qualquer forma, durante o convívio, sempre higienizar as mão e utensílios com frequência.

Como cuidar do seu PET e evitar contaminações?

O mais indicado é passear com os animais em locais ao ar livre ou pátios fechados, em horários com menos movimentação e com pouca aglomeração de pessoas, e ficar o tempo estritamente necessário para ele fazer o seu exercício ou suas necessidades. Parques e praças cheias devem ser evitados, assim como não é aconselhado deixar que outras pessoas acariciem o seu pet, justamente para evitar que as pessoas transmitam o vírus entre si.

A recomendação de isolamento social deve ser feita pela família e em consequência para seu pet. Se este necessita passeios para evitar o estresse, recomendamos que ao retorno a casa seja feita a higiene das patas com água e sabão, assim como de todos os utensílios que utilizar no momento do passeio. Mas como o lema é "fique em casa", recomendamos a mesma situação aos pets, e para passar o tempo utilizar brinquedos, brincadeiras e curtir o tempo com seu pet em segurança!

Qual a importância de manter em dia calendário de vacinações?

Os Pets, tanto Cães quanto Gatos, devem sim, sempre estar com a carteira de vacinação atualizada, a fim, de evitar o aparecimento de doenças no inverno ( cimonose, parvovirose, raiva e até mesmo o coronavírus canino), pois a tendência é diminuir a imunidade com a chegado do frio. Lembrando que existem doenças que são zoonoses e precisam ser combatidas ou evitadas com as vacinas (raiva, leptospirose). Lembre-se de agendar um horário para a vacinação, para evitar aglomerações no local. Sempre lembrando dos cuidados básicos de higienização dos Pets e das PESSOAS e do distanciamento pessoal de 1,5m entre as pessoas.

É de extrema importância a manutenção do calendário vacinal e desverminação, para manter a segurança de seu pet contra as doenças, muitas delas zoonoses, o que assegura sanidade aos tutores também. Desta forma evitando idas desnecessárias ao veterinário. O animal saudável será uma ótima companhia neste período de pandemia, nos alegrando e distraíndo nesta época que necessitamos de boas companhias. Mantendo a vacinação em dia, você previne uma série de doenças, garantindo que seu pet fique saudável e forte para curtir os dias com sua família!

Pensando no bem estar animal, muitos PETS são acostumados a passear, sair para fazer suas necessidades ao ar livre. Pode passear ? Em que locais e com que frequência?

Se o seu PET necessita passeios para evitar o estresse, recomendamos que ao retorno a casa seja feita a higiene das patas e focinho com água e sabão, assim como de todos os utensílios que utilizar no momento do passeio. Passeios curtos, em locais arejados e com pouca movimentação.

Como e evitar o stress dos animais?

O estresse pode ser muito prejudicial a saúde dos Pets, podendo desencadear uma série de doenças, portanto é necessário manter ao máximo a rotina do Pet, redobrando sempre os cuidados com a higiene.

A utilização de brinquedos, brincadeiras, palitinhos, muito carinho e atenção. Em lojas do mercado pet existe uma série de opções para cada porte e situação!

Se há local seguro para essa caminhada ao ar livre a higienização após os passeios é a chave para evitar a contaminação. Recomenda-se a lavagem das patas e focinho com água e sabão.

Ao ficar em casa, aproveite seu tempo para brincar ao máximo com seu Pet, isso trará benefícios para você e para ele também. As brincadeiras vão desde jogar a bolinha, brincar de pega pega, distraindo-os com brinquedos educativos, escondendo petiscos para eles acharem, ensinando seu pet a sentar e ficar, enfim, temos muitas formas de fazer exercício sem sair de casa também.

Como ficam o banhos, idas aos petshops?


O serviço de estética animal está disponível e os estabelecimentos devem manter todos os cuidados para que o pet e seu tutor possam contar com este serviço com toda a segurança. Os estabelecimentos seguem os cuidados determinados para o comércio, com utilização de máscaras, higienização das mãos, e recomenda-se o agendamento do serviço previamente para evitar a aglomeração no local. Os funcionários estão orientados de todos os cuidados para manter a segurança contra o Covid-19. Como profissional veterinário, o que recomendo é procurar um local de sua confiança que tenha todos estes cuidados!

Animais domésticos podem contrair o coronavirus?

O Covid 19 é um vírus novo, e os estudos ainda não são conclusivos, mas é muito importante frisar que os cães não pegam o Covid-19 e não transmitem o vírus também, o cão de Hong Kong, apresentou pequenas partículas do vírus. Ele não apresentou sinais clínicos, como tosse, espirros, febre, ele nunca esteve doente, a proximidade com seu tutor infectado, fez com que apresentasse fragmentos do Covid 19. Os cães e gatos tem seus próprios coronavírus. Dos cães dá diarréia, e é combatido com vacinas V10 ou V8. Os gatos é mais complicado, não tem vacina e causa a doença peritonite infecciosa felina.

O órgão intergovernamental responsável por melhorar a saúde animal no mundo, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) vem desenvolvendo orientações técnicas sobre tópicos especializados relacionados à saúde animal, dedicados a serviços veterinários e especialistas técnicos (incluindo testes e quarentena).

  • Existe a possibilidade de alguns animais serem infectados pelo contato próximo com seres humanos infectados. Ainda são necessárias mais evidências para entender se animais podem espalhar a doença.
  • Com base nas evidências atuais, a transmissão de humano para humano continua sendo o principal fator.
  • Ainda é muito cedo para dizer se os gatos podem ser o hospedeiro intermediário na transmissão da COVID-19

Os veterinários reforçam o recado:

Nossa mensagem é simples: até o momento, não há evidências científicas de que animais de companhia (cães e gatos) são uma fonte de infecção para humanos. Não há evidências de que os cães possam ficar doentes e a infecção em gatos está sendo investigada.

Recomendamos que os tutores de cães e gatos continuem cuidando deles e permaneçam calmos. O abandono de animais é inadmissível e, sob nenhuma circunstância, é a solução para a pandemia de COVID-19, tampouco o sacrifício de animais.

N�cleo Oeste de M�dicos Veterin�rios e Zootecnistas (Nucleovet)

49 3329.1640 | 49 3328.7825

secretaria@nucleovet.com.br

Estrada Municipal Barra Rio dos Índios
SN, km 359, Rural, Caixa Postal: 343
CEP 89.815-899 | Chapecó | SC


Desenvolvido por BRSIS / Nova Comunicação