A Nucleovet

Notícias

Sindirações aponta tendências em palestra a convite do NUCLEOVET

03/12/2018

 A expectativa é de melhora para o segmento no próximo ano, segundo o vice-Presidente do Sindirações, Ariovaldo Zani. O executivo abriu a programação do lançamento dos eventos do Nucleovet em 2019 para a imprensa e profissionais do setor, que aconteceu na última segunda-feira, em São Paulo, na sede da FIESP. “Esperamos uma melhora. Estamos bastante cautelosos, mas muito otimistas”, disse Zani.

Zani destacou que uma leve recuperação do setor começou a ser desenhada já neste ano. “A melhora que tivemos neste segundo semestre contribuiu para compensarmos as perdas dos primeiros meses do ano”, pontuou o especialista lembrando eventos como o alto custo do milho e do farelo de soja, a greve dos caminhoneiros e Operação Trapaça, que impactaram negativamente o setor.

Apesar de não ter ainda consolidado os números deste ano, a previsão do Sindirações é encerrar 2018 com uma produção de ração de 69,2 milhões de toneladas, um ligeiro crescimento de 0,6% em relação as 68,7 milhões de toneladas produzidas em 2017. Para 2019, a perspectiva é de crescimento maior, de até 4%. “É uma projeção porque ainda não temos o fechamento deste ano. Mas, até por conta de 2018 ter sido um ano prejudicado, 2019 será melhor”.

Ampliar a participação no mercado externo e aumento das vendas no mercado doméstico, impulsionado pela tendência de recuperação na economia são as principais oportunidades defendidas por Zani para 2019. “O Brasil ainda está comercialmente muito fechado, se compararmos com outros países, como a Austrália, por exemplo. Por isso, temos espaço para crescer neste segmento. Além disso, existem mercado fechados para a carne brasileira,desde a operação Carne Fraca que ainda não foram reabertos”, afirmou.

As expectativas também são positivas para os preços dos grãos, principal insumo na produção de proteína animal. “A Conab vem estimando uma próxima safra de milho de 100 milhões de toneladas. Além disso, havia uma expectativa de exportação em torno de 30 milhões de toneladas de milho para este ano e este número deve ser inferior a 19 milhões. O estoque de passagem somado à super safra pode representar alívio nos preços de grãos para os produtores de carne e leite” finalizou.

A palestra fez parte da programação de lançamento dos eventos do Nucleovet, que contou ainda com uma palestra do jornalista e colunista Marcelo Lara que apresentou uma “Análise de conjuntura e o que esperar do agronegócio em 2019: por dentro do novo ministério da Agricultura”.

Nucleovet
Estrada Municipal Barra Rio dos Índios
SN, km 359, Rural,
Caixa Postal: 343
CEP 89.815-899 • Chapecó • SC
Desenvolvido por BRSIS